Google

domingo, 6 de abril de 2008

Drunna


Desenho elaborado por Anderson Manoel da Silva (Amin)

Esta foi uma reprodução que fiz da personagem Drunna do artísta Paolo Eleuteri Serpieri.

Referência Artística

Paolo Eleuteri Serpieri desde cedo se interessou pela carreira artística. Fã do pintor Renato Guttuso, estudou no Liceu Artístico, em Roma, e quando se formou - na época estava com pouco mais de 20 anos - foi convidado pela escola a permanecer como professor de anatomia, tal era a perfeição de seus traços e noções de desenho do corpo humano. Nesta época, Serpieri se dedicava à pintura de quadros.


Figura 1

Mas, em breve, um amigo do artista - o editor Michele Mercurio - o convidou para fazer histórias em quadrinhos na revista Lanciostory. Serpieri dedicou-se inicialmente às HQs do velho Oeste, como o general Custer, que ganhou vida na revista em 1979. Também desenhou grandes mitos do mundo cowboy para a revista Skorpio e fez "A História do Far West em HQ" para a editora Larousse - logo depois, faria uma versão ilustrada da Bíblia para a mesma editora.

Em 1982, Serpieri começou a fazer HQs com pitadas de ficção científica, com "Force", uma história de sete páginas na qual um casal nu é atacado por monstros. A seguir, cria L'Indiana Branca, onde conta a história de Sarah, uma mocinha branca criada por índios.

Figura 2


Em 1984, na revista L'Eternauta, Serpieri desenha La Bestia, uma ficção científica ambientada em clima mexicano. E então... em 1985, durante uma convenção de quadrinhos na Espanha, Serpieri revela aos amigos que está cansado de fazer um gênero de quadrinhos que exigia tanta pesquisa e que estria lançando em breve um grande sucesso, com o qual ganharia muito dinheiro. Dito e feito: em dezembro daquele mesmo ano saia na revista L'Eternauta a personagem Druuna, com a minissérie Morbus Gravis.Logo de cara, a voluptuosa personagem - que alguns críticos de quadrinho chamam de "Barbarella que comeu muito spaghetti" - consquistou milhares de leitores. Logo a Itália ficou pequena demais para Serpieri e Druuna foi lançada em toda a Europa e, a seguir, teve histórias publicadas no Brasil e nos Estados Unidos.Por aqui, Druuna apareceu nas revistas Heavy Metal/Metal Pesado e chegou a ter algumas edições especiais publicadas - a própria Metal Pesado editou dois exemplares de Morbus Gravis.

Figura 3

2 comentários:

danilo disse...

Bom,o site contem conteudos Bom que
cabe ao assunto que é artes. É um bom incentivo para as pessoas que se interessam por arte !!

Jorge Mansil disse...

O conteúdo é fascinante...
Excelente trabalho
A arte também está no sensualismo
Parabéns!

Ocorreu um erro neste gadget